Siga-nos  
                                                       Cidadão SP    /governosp    Dúvidas Frequentes


Instituto de Pesca desenvolve estudo para preservar espécie nativa de surubim

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto de Pesca (IP), está desenvolvendo um estudo sobre criopreservação de embriões de surubim-do-paraíba, espécie de peixe sul-americana endêmica, natural do rio Paraíba do Sul (SP). O objetivo é conservar o material genético a partir de um pequeno lote de reprodutores, mantido em cativeiro na Estação de Piscicultura de Paraibuna, da Companhia Energética de São Paulo (Cesp), parceira da pesquisa.

O surubim-do-paraíba está na lista do ‘Livro Vermelho de Espécies da Fauna Brasileira’ em condições críticas de conservação.

A criopreservação de embriões do surubim pode ser feita por meio de congelamento por longos períodos em baixíssima temperatura (conservação de material genético). Também via resfriamento, em períodos relativamente curtos em temperaturas próximas a zero (otimização da estrutura das pisciculturas e aumento da produção de juvenis para repovoar o rio). A iniciativa pode facilitar o repovoamento da bacia hidrográfica da qual a espécie é originária, bem como, restabelecer os costumes e tradições da população ribeirinha relacionados à pesca, culinária e turismo.

A pesquisadora da Secretaria Taís da Silva Lopes, pós-doutoranda que desenvolveu o estudo, está concorrendo ao Prêmio Capes/Natura: ‘Sociobiodiversidade e Conservação Biológica’. O projeto, coordenado por Elizabeth Romagosa, pesquisadora do Instituto, recebeu auxílio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

De acordo com Taís, há a questão do desenvolvimento de tecnologias para o controle da produção, trazendo elementos compatíveis com o que se preconiza para uma atividade aquícola ecologicamente sustentável e socialmente responsável. Ela diz que o surubim-do-paraíba, espécie nobre da bacia hidrográfica de sua origem, desapareceu dos rios ao longo dos anos, prejudicando comunidades ribeirinhas e áreas de lazer que exploram a pesca como atividade turística local.

Já Elizabeth Romagosa disse que “a técnica de resfriamento vem sendo utilizada como alternativa para investigar os danos causados a embriões quando expostos ao frio, resultando em informações que poderão auxiliar na conservação genética de espécies de peixes sul-americanos”, revelou.

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto de Pesca, incentiva estudos como esse, cujos resultados contribuem para uma melhor compreensão do perfil fisiológico e da inserção ecológica de espécies de interesse comercial. “Devido à alta explotação e à falta de estudos, quase todos os estoques de peixes encontram-se bastante reduzidos em nível mundial, sendo algumas espécies já consideradas sobre-explotadas. Encontrar alternativas é essencial e urgente”, comenta Edison Barbieri, pesquisador do Instituto.

Para o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, o programa de pós-graduação em institutos de pesquisa da Pasta potencializa a capacidade institucional de produzir conhecimento, além de contribuir para o aperfeiçoamento do corpo científico e, consequentemente, a capacitação de futuros pesquisadores.

“Tais estudos estão alinhados ao que recomenda o governador Geraldo Alckmin, isto é, contribuir para a preservação do meio aquático em todos os seus aspectos”, afirmou Arnaldo Jardim. 

 

•          Por Antonio Carlos Simões

 

Mais informações:

Assessoria de Imprensa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Instituto de Pesca

Fone: (13) 3871-7510 ou 3871-7538


SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO PAULISTA DISPONIBILIZA ESTATÍSTICA PESQUEIRA