Siga-nos  
                                                       Cidadão SP    /governosp    Dúvidas Frequentes


Parceria lança campanha para incentivar o consumo de pescado

A fim de apoiar a cadeia produtiva de pescado, organizações públicas e privadas têm se unido com o objetivo de que, assim como outros alimentos da agricultura rural, o pescado seja comercializado e chegue à mesa do consumidor com qualidade, sobretudo neste período em que muitos, por questões religiosas, consomem apenas peixe.

Diante da pandemia da Covid-19 e, consequentemente, da determinação de isolamento e fechamento do comércio no estado - ações necessárias para o combate à propagação do novo coronavírus - a distribuição e venda de produtos da cadeia foram impactadas. 

Uma das iniciativas dessa união é a parceria realizada entre a Seafood Brasil, plataforma de comunicação destinada a aumentar o consumo e gerar negócios para os atores da cadeia produtiva do pescado, e a plataforma de negócios Dupeixe que, juntas, pensando em impulsionar as vendas e preservar a saúde das pessoas apoiando o isolamento, criaram a campanha Santa Quarentena. Trata-se de uma ferramenta, com cadastramento gratuito, para que estabelecimentos comerciais de pescado possam oferecer condições especiais ao consumidor final, por meio de delivery ou locais seguros como supermercados, peixarias, food service, mercados públicos, feiras e até mesmo direto do produtor. Os produtos e locais de venda poderão ser encontrados em um mapa interativo, o qual apresentará a localização quando o usuário inserir o CEP.

De acordo com o Anuário de 2020 da Associação Brasileira da Piscicultura (PEIXE BR), o estado de São Paulo  é o segundo maior produtor de peixes de cultivo do Brasil e se destaca por várias iniciativas de fomento, aplicação de tecnologias e incentivos a pequenos e médios produtores. A produção do estado de São Paulo cresceu 4,9% em 2019 e atingiu 69.800 toneladas de peixes.

Já a pesca extrativista marinha alcançou mais de 15 mil toneladas no período de janeiro a dezembro do ano passado, conforme relatório consultado no ProPesqWEB, banco de dados do Programa de Monitoramento da Atividade Pesqueira Marinha e Estuarina (PMAP-SP), do Instituto de Pesca (IP-APTA), órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Esses dados mostram a grande quantidade de produtos da cadeia do pescado que é oferecida ao consumidor paulista, a qual aumenta, significativamente, em períodos de Quaresma.

Segurança Alimentar

Outra ação importante, voltada para a segurança alimentar da população, que visa atestar a qualidade e legitimidade (comprovação de que a espécie na embalagem corresponde à descrição no rótulo) de produtos do pescado é a Operação Semana Santa 2020, realizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), com cerca de 90 servidores públicos, dentre eles fiscais, agentes de inspeção e técnicos de laboratório. Por meio da fiscalização do Serviço de Inspeção Federal (SIF), a ação mostrou que 94,8% das espécies de pescado vendidas, em 17 estados e no Distrito Federal, estão em conformidade com o descrito nos rótulos, o que assegura e promove o consumo.

Este é um resultado promissor para a cadeia produtiva e industrial do pescado, já que ocorreu um aumento em relação a 2015, primeiro ano da Operação, em que a conformidade foi de 73%, segundo informações da Secretaria de Defesa Agropecuária. Mas, ainda mais positivo para o consumidor que pode confiar no alimento que está comprando para as refeições durante a Semana Santa e o ano todo, que, além da qualidade, está sendo entregue pelas ações como a Santa Quarentena, com todos os cuidados de higienização necessários.

 

Por: Gabriela Souza – CECOM – Instituto de Pesca

Imagem: Pxhere


MAPA divulga lista final das embarcações habilitadas e inabilitadas à pesca da tainha